You are currently browsing the monthly archive for dezembro 2007.

shenfighter.jpg

Fui pra praia! Nos vemos em Dois Mil e Oito, galerinha do mal!

Anúncios

 

homer_simpson.jpg
É, galera… Fim de ano é um convite a preguiça. Nesta semaninha que precede o ano que está por vir estou dormindo tarde e consequentemente acordando tarde. Não faço lá muita coisa fora sofrer na frente do pc e do videogame. Claro, sempre rola o encontro com os amigos, mas não o tempo inteiro. Toda essa enrolação foi pra dizer que não necessariamente teremos atualizações nos próximos dias. A forca de vontade deste colunista (pfffff!) esta próxima à forca física do mesmo. Ou seja, não é lá muita coisa. O cérebro que vos fala está em um estado inerte, beirando o vegetativo. Não quero pensar em nada e nem me preocupar com nada. Só quero descansar, pois dia DOIS voltarei a trabalhar. Sim, dia dois. E como o ritmo de trabalho vai estar próximo a zero, é provável que lá eu atualize novamente, sim. Então, ate ano que vem, caso não rolem mais atualizações! Boa preguiça para vocês.

link.jpgComo tem bastante gente que comemora o Natal na véspera, digo já: Feliz Natal, seus malacabados! Espero que encham as suas prateleiras de jogos e Wiis e Pleisteixons 3. XBOX 360 não porque não tem cara de presente de Natal. Já vi que vou ter de me presentear com mais um joguete esse mês… Mas acho que vou me segurar, pois ganhei um livro que trata sobre o assunto da minha namorada (o assunto é videogames e não a minha namorada). Aí vou investir o tempo em leituras ao invés de jogos. Ta, nem eu me enganei com essa. Vou ler sim, mas obviamente que os jogos não ficarão de lado. E nem sei porque estou escrevendo isso tudo. São 3:15 da manha e estou com sono, então vou dormir. Quem sabe não pinte um post de verdade durante o dia?

untitled-2.gifÉ fim de ano! 2007 tá indo pra algum buraco negro de Mario Galaxy, deixando pra trás horas e horas de jogatina. De Snake Eater a Geometry Wars, dediquei bons momentos a esse hobby tão seleto. Mas não é sobre isso que quero falar aqui. Hoje vou falar de mim. Sim, este vai ser um post “querido diário”, logo se você quer ler apenas sobre games, aconselho parar já. Porque isso? Bom, a vida não é feita só de jogos eletrônicos e rankings dos mais vendidos, certo? E afinal, o que vocês sabem sobre estes blogueiros que aqui postam? Nada, praticamente. E sinto o mesmo em relação aos autores de outros blogs. “Ah, mas então escreve algo e põe no ‘quem somos‘”. É, eu poderia, mas aí vocês iriam ficar sem post hoje =D

Continue lendo »

Impressão minha ou na imagem de divulgação do trailer de Duke Nukem Forever ele está A CARA do Bruce Willis?

duke.jpg

Ps: se o seu blog fez um post semelhante, perdoe-me. Estou cheio de trabalho e nem consegui dar uma passeada na blogosfera gaymer hoje.

Update: Chuto uma nota para o jogo: 5,5. Os comentarios? “Duke Nukem se perdeu no tempo e no meio de tanta demora. Jogue o classico e serás feliz.” Espero estar errado. Me bateu ate uma saudade ao ouvir novamente a voz dele. Isso foi meio biba, mas dane-se.

mario-kaise1r.jpgCom o sucesso estrondoso de público e crítica após Galaxy, o personagem Super Mario, da Nintendo, viverá mais uma aventura nos cinemas. A surpresa está na escolha do ator principal, que ao contrário de todas as indicações, será brasileiro. O ator em questão será José Valien, conhecido popularmente pela sua participação em campanhas publicitárias como o personagem “Baixinho da Kaiser”. O executivo de marketing da Nintendo of America, Simon Stevenson, disse que se deparou com a imagem icônica de José em uma passagem pelo Brasil no ano passado, exatamente na época em que uma cena polêmica envolvendo o ator estava em evidência: o seu beijo com a atriz Karina Bacchi. Simon relata que a simpatia foi instantânea e a verossimilhança com o personagem da Nintendo foi inevitável: “Não pude deixar de levar a idéia para a nossa diretoria nos EUA” – diz Simon – “Tínhamos projetos para o retorno de Mario às telas dos cinemas, mas após este achado foi impossível não levar adiante”.

mario-filme.jpgPouco se sabe sobre o filme, mas foi revelado que nada terá a ver com o não tão amado Super Mario Bros., lançado em 1993. “Desta vez o universo de Super Mario será muito mais fiel aos jogos que há tanto encantam a todos”, ressalta Simon. Questionado sobre a idade de José, um tanto avançada para representar o encanador, o executivo da Nintendo deixou escapar que o filme se passará durante várias etapas da vida do personagem. “Mas é claro que ele teria de ficar em forma para o papel”, brinca. Não se sabe ainda quem interpretará a versão jovial, porém especula-se a participação de Elijah Wood, conhecido pelos seus papéis em Impacto Profundo, O Senhor dos Anéis e Sin City. José Valien nada pôde nos revelar por questões legais.

A nova aventura do carismático personagem ainda não possui nome definido e detalhes do roteiro ainda não foram divulgados, também como a direção do filme. Peter Jackson foi cogitado pelo estúdio responsável, mas os rumores de que ele estaria na mega-produção de um filme da franquia Halo – também inspirada nos videogames – afastam esta hipótese. Outro possível nome é Tim Burton, conhecido pelos toques de fantasia exagerada em seus filmes, perfeito para o título em questão. Segundo a Nintendo, os elementos clássicos dos jogos estarão presentes na película, como a princesa Peach, o vilão Bowser, os mundos coloridos e muita ação – sem violência exagerada.

O filme tem previsão de estréia para a temporada de 2009 nos Estados Unidos.

Estou de ressaca.

Isso significa: sem posts significativos hoje. A não ser que o Lucas mexa o traseiro magricelo dele e poste algo.

Vou rezar um pai nosso para que os correios me tragam uma boa notícia hoje.

UPDATE: E a boa notícia veio! E viva o Mario Galaxy! Finalmente!

Aviso: Contém mini-spoilers sobre Metal Gear Solid 2 e 3

wwwbrickshelfcom_gallery_saberscorpion_metalgearsolid_rex7_splash.jpgComumente quando um jogo é de determinado gênero, ele não abrange outros campos. Resident Evil, por exemplo. Ele é terror e ponto (eu pelo menos não me lembro de ter visto algo romântico no jogo). Mas se tem um jogo que consegue mesclar várias emoções distintas em uma aventura só é Metal Gear Solid. E de uma forma muito competente, ao meu ver. Lá está você, escondendo-se e fazendo de tudo para não ser notado, em um ambiente hostil, terrorista e mortífero, salvando o mundo e ainda por cima a própria pele. Horas e horas de conversas cheias de informação, conspirações e confissões via codec. Cutscenes maravilhosas que deixam inúmeros filmes hollywoodianos parecendo filmes B. De repente, quando você menos espera, lá está o Snake apreciando descaradamente o decote de uma das beldades da história, com uma expressão pra lá de cômica. Olhos arregalados e hipnose temporária inclusos. Ou então a telepatia de Psycho Mantis no primeiro MGS que, tanto no PSX quanto no GameCube, caso você tivesse determinados jogos salvos no memory card, ele “lia” a sua mente e começava a conversar com você e a questionar os seus gostos.

Muito bom o momento em que ele pede para você colocar o controle no chão e ele instantaneamente começa a vibrar. Existem outros momentos como este na saga Solid, e em cada um deles eu dava risadas e pensava “WTF? O que isso tá fazendo aqui?”. Com referências, piadas, diálogos constrangedores e xavecos descarados de Snake nas moçoilas, Metal Gear Solid é uma obra prima sem tamanho. Digo sem medo: Pago pau para a série.

mantis_diggaa_castlevaniaa.jpg

Em resumo, é uma serie que além de conseguir ser magnífica no todo, ainda consegue fazer piada de si mesma e com muita competência, diga-se de passagem. As provas disso são esses dois vídeos abaixo, em que as situações de Sons of Liberty e Snake Eater são satirizadas. Não são montagens e sim vídeos feitos pela própria Kojima Productions. Não sei qual o motivo do surgimento deles, infelizmente não tive tempo de pesquisar. Mas assista, menos se você ainda não concluiu o 2 e o 3, já que os vídeos são feitos com base em cenas do jogo, logo você pode levar um baita spoiler na cara.

Metal Gear Signit

Metal Gear Raiden: Snake Eraser

Se o FinalBoss possui mini-reviews, o Assopre a Fita possui os incríveis, práticos e de fácil digestão Micro Revíus! Aqui você encontrará esporadicamente análises rápidas e sucintas dos melhores games do momento! Ou não, mas tudo bem. Vamos começar com um simpático joguete para o nosso querido Nintendo Wii: Mercury Meltdown Revolution.

(Nota do editor: acabei me empolgando e no fim este “review” não ficou nada micro. Quem sabe na próxima…)

O que é?
mercurio.jpgUm puzzle que teve origem no PSP e ganhou também uma versão para ps2. Basicamente ele é assim: você controla uma bola de mercúrio através de pequenos cenários. Você tem um limite de tempo (que serve apenas para pontuação, você não “perde” se o tempo acabar) e deve chegar até o seu destino.

Mas não pense que é melzinho na chupeta. No meio do caminho você encontrará diversos obstáculos, que vão desde plataformas flutuantes a espinhos que fazem a sua bolinha se dividir em várias. Aliás, este é um dos desafios do jogo. Em várias fases você deve dividir o seu “personagem” em dois ou mais, já que ele é feito de mercúrio. Caso você não consiga imaginar, é tipo uma daquelas “gelecas” que crianças costumam brincar, só que mais moles (isso visualmente e no ambiente do jogo. Na vida real essa comparação é 100% inválida.). Para se dividir, você precisa encontrar algum obstáculo, como uma escadinha por exemplo, e deixar a física fazer o resto. Mais cedo ou mais tarde, dependendo da sua habilidade, a bolinha de mercúrio se dividirá.

mercury3.jpg

Alguns puzzles são também baseados em cores. Como assim? Existem algumas fases em que você só consegue passar se mudar de cor, e para isso existem “cabines” específicas para isso. Some isso à divisão de bolinhas e já terás um bom desafio. Por vezes você terá de se transformar em várias e mudar as cores de todas ao mesmo tempo para depois dar um jeito de juntá-las e conseguir misturas de cores. Também existem portas e plataformas que você só conseguirá alcançar dessa forma, tornando tudo bem interessante e desafiador. O design das fases é muito bem bolado.

Mas como tudo isso funciona no Wii? Bom, não joguei a versão do PSP, mas imagino que nele a bolha era controlada apenas pelo direcional. No Wii quem manda é o sensor de movimentos, como já era de se esperar. Você segura o controle no estilo NES e tem total controle sobre o objeto solamente com o motion-sense. Os botões servem apenas como auxiliares, afastando e aproximando a câmera e a movimentando. Em minha opinião os movimentos ficaram bem precisos e sólidos. Talvez você estranhe no início e ache até um pouco lerdo, mas no decorrer do jogo é perceptível a sensibilidade. Digo isso porque em certos momentos você está em uma plataforma finíssima e não pode perder partes da bolha. Por exemplo, se você vacilar vai acabar derramando 30% da bolinha fora. Na real existe a possibilidade de você terminar as fases com apenas 10% de seu tamanho original e com o tempo esgotado, mas o jogo foi feito de tal forma que você simplesmente não aceitará e tentará chegar ao fim dentro do tempo e com 100% de sua forma original. Mas voltando aos movimentos, existem horas em que a precisão é tão necessária que você se flagrará “tilteando” o controle em uma tensão suave, muito gostosa.

mercury.jpg

Não pense que é como em outros jogos pro Wii, em que você faz qualquer movimento besta e aleatório e ação é representada na tela. Mercury Meltdown Revolution possui movimentos simples porém funcionais e inteligentes, de uma forma que não prejudica o jogo. Muito pelo contrário, aqui é a jogabilidade que faz a diferença, juntamente com o design bem construído das fases. É exatamente o tipo de funcionalidade que eu gosto de ver no Wii.

Mas e gráficos? Bom… Não é nenhum Mario Galaxy, obviamente. Aliás, parece um jogo de primeira geração do Dreamcast. Ou, para a comparação ficar mais adequada, é praticamente um port de PSP. As texturas da fase são simples, sem nada de primoroso. É tudo muito colorido e vivo. Claro que eu gostaria de ver gráficos revolucionários e breath-taking, mas no fim o visual fica meio que em segundo plano. As músicas são medianas, onde eu pelo menos gostei da maioria, mas algumas deixam bastante a desejar, como a do menu por exemplo.

Vale a pena comprar?

Não sei. O jogo lá fora é vendido a 20 dólares. Se você conseguir por este preço nem hesite, compre já. Mas como por aqui a coisa é diferente, não sei se investir 90 reais nele é o melhor dos negócios. Existem vários outros jogos com maior relevância na biblioteca do Wii e talvez deixar de ir ao bar durante duas semanas para economizar mais 50 reais e comprar um jogo mais caro seja uma boa. Mas eu comprei e não me arrependi. É um título bem gostoso de se jogar, principalmente após um dia cansativo de trabalho onde tudo o que você deseja é um sofá e algo que não te estresse. Pode até servir de “terapia” pra alguns. Eu diria que este jogo ficaria muito melhor se fosse vendido em uma Live da vida, mas isso é assunto pra outro post 🙂

mercury-2.jpg

Olá, lídou félas! Bela segunda-feira, não acham?sixty-four.jpg

O camarada Lucas possui um belo monitor LCD para o seu Xbox. Eu, que volta e meia vou até a casa dele para umas partidas de Halo 3, apreciei bastante a qualidade da imagem, bem nítida e diferente das tvs convencionais (tubão). Logo, na iminência de colocar as mãos no fabuloso Super Mario Galaxy – sim, o meu ainda não chegou -, me interessei imensamente por uma destas maravilhas tecnológicas. Fui pesquisar e para a minha frustração, o Wii não possui as entradas (ou saídas?) para conexão direta em monitores. Para tal, eu teria de comprar um apetrecho especial que não sairia por menos de 200 reais, logo o investimento já não é mais tão atrativo assim. Mas nem tudo estava perdido, ora pois! Existem também as tvs de LCD, não?

E então a busca recomeçou. As tvs têm um valor um pouco mais elevado que os monitores, mas não custava verificar. Realmente os aparelhos que encontrei ficaram um pouco fora do meu orçamento. Dois mil mangos não é uma quantia que eu consiga pagar com facilidade hoje em dia. Vida de estagiário é assim mesmo. Aliás, eu até poderia comprar, se fizesse em várias parcelas, mas teria de abrir mão das minhas compras gamísticas mensais. Aí fica difícil, pois tenho uns 5 joguetes na fila. Até que, um belo dia (ontem), entrei em um site de compras online que não vou dizer o nome pra não fazer propaganda grátis (ah, dane-se… era o Submarino!) e vi: TV LCD DEZENOVE POLEGADAS – 1099 REAIS. Pronto, estava feita a bagunça na minha cachola. Bolei planos mirabolantes para convencer os meus pais a me dar esta caixinha de imagens em alta resolução. Preparei um discurso do tipo “vocês compram em doze vezes e pagam as seis primeiras parcelas. Eu fico com a segunda metade”. Não tinha como dar errado. Aí parei, respirei e fui dar uma vasculhada na internet sobre o Wii em tvs de LCD. Tive de fazer isso, sou impulsivo demais e era capaz de acabar comprando sem me informar antes. Para a minha dúvida, li em alguns lugares que a imagem ficava ótima, mas em outros diziam ficar ruim. Qual a solução? Testar.

monty.jpgE lá fui eu, em pleno domingão, passear no shopping com a patroa. E com o Wii debaixo do braço. Entrei em umas três lojas e na cara-de-pau perguntei se poderia testar o videojogo no aparelho. Em duas das lojas, os caras me passaram um lero e desconversaram, até que fui até a Pernambucanas e o atendente, muito do simpático, compreensivo e bom vendedor, deixou eu usar uma de suas TVs. Obviamente que nesse momento a namorada desbaratinou e saiu fora, tamanha a tosqueira que era a cena. Fuleiragem total instalar um videogame no meio de uma loja movimentada em pleno domingo pré-Natal. Imaginem a minha cara de bobo apontando o Wii Remote enquanto transeuntes me olhavam com asco e antipatia. Tá, nem foi tão feio assim. Um tiozão até parou do meu lado e ficou soltando uns “olha, mas que legal! incrível! etc.!” Nada demais, o Wii tem esse poder mágico de fascinar as pessoas mesmo.

Mas e a imagem? Boa? Ruim? Mediana? Satisfatória? Bem, não sei se isso é um resultado universal, mas eu não gostei do que vi. Na TV em que eu testei, a impressão que tive é de que estava tudo em baixa resolução, o que é obvio, visto que o Wii não tem as manhas de imagem como o 360 e o PS3. Mas esperava que no mínimo ela ficasse como na tv da minha sala, o que não aconteceu. Para comparar, imagine que foi instalado Duke Nukem 3D no seu pc. A resolução 640×480 seria a da TV tubão. A da LCD deveria ser 1024×768, mas ao invés disso é um medíocre 320×240 (estou chutando os números, só pra constar). Testei Metroid Prime 3 e os cenários ficaram serrilhadíssimos e com “fantasmas”. Lembrando que tudo isso foi sem o cabo componente, que diz melhorar em aproximadamente 33% a qualidade da imagem. Mas, julgando pelo que vi, nem com os 33% a imagem ficaria decentemente decente. Tá certo que talvez configurando o setup da tv a coisa mudasse um pouco de figura, mas em um julgamento de dez minutos o meu veredito é: não compre. Não sem antes pesquisar, pelo menos. É um investimento muito grande para obter imagens inferiores a sua tv-com-vídeo-cassete-de-catorze-polegadas. Mas reza a lenda que o desempenho do Wii é muito bom em TVs de plasma. Alguém aí já experimentou?

tv.jpg

Ah, mas eu ia comprar uma dessas de Natal! Estou sem opções, me ajuda! Dá uma passada no Continue que lá tem sugestões ;P