AA: True Soldiers é uma decepção.

Pra quem não conhece, é uma franquia da Ubisoft, cujo destaque é ser patrocinado pelo próprio digníssimo exercito dos Estados Unidos da América (ARMY STRONG, como diz o jogo).

Chamadas clamam como “verdadeira simulação do combate”, mas oh deus, nada mais longe da verdade… gráficos last gen, e isto vindo da Ubisoft… mapas grandes, poucos jogadores (16 no máx), jogabilidade típica de fps, com algumas sacadas boas, como “rolar”, carregar aliados caídos para áreas mais seguras para tentar aplicar primeiros-socorros. E aí um problemas, quando você é atingido, você cai, e fica 45 segundos sangrando até algum aliado aparecer e aplicar os primeiros socorros, o que raramente ocorre, devido ao alto nível de senso de teamwork no planeta. Ou seja 45 segundos sofrendo, se a Ubisoft queria simular a dor de ser atingido, conseguiu.

Edição de aparência do personagem, de classe (granadeiro, fuzileiro, sniper, etc) estão presentes, mas nada muito acima da média, um sistema de pontos para agraciar bons jogadores… enfim, um fiasco.

Se eu quiser uma boa sensação de combate, parto para Call of duty 4, que mesmo não sendo cria do exército, como certeza carrega nas veias o sangue combatente.

AA: True Soldiers, em sua segunda versão continua a decepcionar, mesmo com a premissa e todas as chances de ser um astro.

Anúncios