Há poucos minutos, nesta manhã de sábado, na conferência da EPIC em Manhattan, baladala área nova-iorquina conhecida pelos seus arranha-céus e por sua característica cosmopolita, o vice-diretor de marketing da empresa, Jonathan Brockwood, surpreendeu a todos. Ele afirmou, nitidamente empolgado com a idéia, que o Capitão Nascimento será o protagonista da tão aguardada sequência de Gears of War, para Xbox 360. Capitão Nascimento, para quem não sabe, é o integrante do BOPE na película brasileira “Tropa de Elite”, do diretor José Padilha, interpretado por Wagner Moura. Ele (o Capitão) ganhou notoriedade no cenário nacional devido à sua forma peculiar de agir: duro, incisivo, imponente, temido e, quando necessário, demasiado violento (o uso de torturas pelo Capitão foi motivo de diversos debates entre pseudo-intelectuais e também em programas de auditório noturnos). Porém, apesar de toda essa fama de Rambo Tupiniquim, Capitão Nascimento é apenas mais um cara tentando ganhar a vida, com sentimentos como qualquer outra pessoa. A performance do Capitão surpreendeu Jonathan, que teve acesso ao filme de formas ilícitas, visto que a divulgação em terras extra-brasileiras não foi muito expressiva até o momento. “Nascimento reflete exatamente o clima que desejamos para a sequência do nosso jogo, sendo o substituto perfeito para Marcus”, diz ele. A EPIC há pouco tempo vinha negando uma continuação, mas boatos rondavam os bastidores do entretenimento eletrônico. Questionado sobre o futuro da série e pela inserção do nosso representante conterrâneo, Jonathan deu informações que podem não agradar os fãs incondicionais da série, como a morte de Marcus logo na primeira hora de jogo. “Ele estará lá, e você poderá controlá-lo, mas não por muito tempo”, diz. Quanto ao uso de torturas, a EPIC diz ter um pouco de receio, pois as peculiaridades de Capitão Nascimento no campo de batalha poderiam vir a deixar o jogo com a classificação “Adults Only”, impedindo o jogo de ser vendido na maioria das redes e talvez até gerando uma possível aversão ao título, como aconteceu com Manhunt II, prestes a ser lançado com cortes. Mesmo com possíveis impasses, como este citado e também as negociações sobre o uso de imagem de Wagner Moura, a EPIC está confiante no projeto, que está previsto para o final de 2008.

Anúncios