Demos, não os habitantes do inferno, demos, demonstrações de jogos, ah que bela invenção do homem, quase tão boa quanto grampeadores…

Antes de começar cabe aqui um esclarecimento, eu tinha uma conxão de 156kb, agora pulou para um de 8MB wireless (que o Rodrigo testou) compartilhada com os seres que habitam o meu prédio, mas que está sempre melhor que 156kb, então é uma pechincha, como vocês sabem, o 360 não tem o wireless embutido, portanto enquanto não compro o acessório fiz uma gambiarra com um cabo de rede de 6 metros pra acessar a net, e desde então tenho feito muitos, muitos, muitos downloads na marketplace, e meu deus, eu não deveria ter começado…já não consigo parar.

Alguns demos antigos, como GRAW2 e Forza, outros mais novos, como Bioshock (hands on em breve) e  Stranglehold (idem), apesar de serem apenas demos, servem para saciar a fome por games de mim, pobre infeliz que tem só gears of war no currículo, são todos de grátis, e de gráts meu amigo, até injeção na testa (não isso não, tenho fobia…).

Apesar de divertido baixar os demos e jogá-los, os demos são uma faca de dois gumes, é uma delicinha ver outros jogos rodando, muito bons algun, outros nem tanto (lembrete a mim mesmo no futuro: DELETA ARMORED CORE 4, POR FAVOR), você acaba achando que está lucrando, mas na verdade aquilo está te induzindo a comprar os jogos, só percebi isso após jogar bioshock e strangelhold, explico: apesar de ter jogado demos a vida toda, nunca um demo me fez comprar um jogo, mas os demos dos jogos supracitados são bons demais, principalmente bioshock, e sinceramente, arranjaram um lugar na minha lista de “compre, seu idiota”. E eu ainda não tenho dinheiro.

Anúncios