You are currently browsing the monthly archive for agosto 2007.

Já se foi o tempo em que o Brasil tinha um bom mercado de games (de mesa). Hoje temos a Microsoft tentando, aos poucos e bravamente, ganhar espaço e reestabilizar a bagaça. Mas os preços são absurdamente altos, e mesmo com um corte de R$500, o seu console é deveras caro. A culpa não é deles, claro. Temos de reconhecer o esforço. Mas em outros tempos a história era outra: tínhamos a Tec Toy e a Playtronic, que vendiam sistemas SEGA e Nintendo por aqui. Os preços podiam não ser “de banana”, mas certamente não eram como os atuais. E era uma beleza: vários jogos originais nas lojas, só esperando por nós. Locadoras sempre lotadas, com a molecada disputando pra ter um “Hands-on” do magnífico Donkey Kong Country. As caixas dos jogos todas em português, que maravilha. Hoje, creio que o mais próximo disso é a versão nacional de Viva Piñata, dublada pra essas bandas. Iniciativa muito legal, do caralho mesmo. Pena que tem gente que “acha palha” e faz questão de comprar em inglês, não incentivando a produção nacional. Mas isso não vem ao caso.

Entre cartuchos de SNES e Master System, tínhamos vários jogos disponibilizados nacionalmente. Apenas um ou outro em português “in-game”, mas ok. Um jogo que me lembro de ter jogado bastante em minha infância – e de ter adorado – é este:

Turma da Mônica em O Resgate.

Eu sei, é um hack de Wonder Boy, mas nos éramos crianças na época e não sabíamos. Eu, como fã da Turma da Mônica, achava o máximo ter os meus personagens favoritos na tela do videogame. E era um jogo legal até.

Mas tudo isso foi para questionar você, leitor. Digamos que em pouco tempo os videogames se popularizem no país a ponto de a Nintendo-Sony-Microsoft invistirem pesadamente na produção de jogos em território nacional. Digamos que os jogos fiquem mais baratos (pra isso, nao pirateiem, amigos) e que mais lançamentos como Viva Piñata sejam realizados. Um dos jogos que eu adoraria ver ser produzido e distribuído por aqui é um da Turma da Mônica. Vamos la, deixe o seu lado “só jogo shooters com texturas super-realistas” na estante. Pense macro ao invés de micro. Eu compraria um, caso fosse bem estruturado. Alem de ser algo da minha infância, eu estimularia o mercado nacional, que anda meio bambo. Imagino que seria perfeito para o Wii, sem querer ser Nintendista demais.

Pense nisso, meu camarada. Dê preferência para lançamentos nacionais, se houverem. Pode ser um pouco mais caro, mas é um sacrifício que pode acabar gerando preços mais baixos no futuro. E tente evitar a pirataria ao máximo. Pode parecer careta em um primeiro momento, mas é algo que somente vem a nos beneficiar (alem do fato de que quem pirateia o console fica privado de alguns preferenciais, alem de detonar o console.).

Ps: Texto escrito com algumas cervejas na cabeça.

Anúncios

Os Microsoft points são, para quem não sabe, a unidade monetária na Live, a rede internética para games da Microsoft, tal qual os Wii points (também conhecidos por pessoas idiotas como: “I-LOVE-NINTENDO-THEY’RE-AWESOME Points” *interna*) para o Wii da Nintendo.

Um jogo custa em média 400 à 800 MS Points, com variações e intermediários nesses valores. Tudo muito bonito nos EUA, onde 800 MS points custam 10 dólares, e como os jogos e conteúdos da Live custam em torno disso mesmo, torna-se uma pechincha para os nossos camaradas Ianques, mas para nós tupiniquins…

Um jogo como, digamos, Space Giraffe (não entrando no mérito do jogo ser bom ou não, apenas lembrando que é um jogo baixável e de vida curta) custa em torno de 30 reais. Será que vale a pena?

Pelo preço alto é necessário escolher bem os jogos, por isso que esse sistema ainda demora para vingar no Brasil, afinal 70 reais por 1600 MS points é muito caro por muito pouco.

No entanto estou muito afim de 1600 pontinhos, dois motivos, Bomberman live, que tem todos os ingredientes para a diversão garantida de Bomberman, mais o multiplayer online, mais conquistas, mais customização de personagens, enfim, um prato cheio, e um clássico de alguns anos atrás, Super Puzzle Fighter, agora em sua versão HD Remix.

Músicas clássicas de Super Street Fighter remixadas, para um clima infantil-deveras-aprazível, boa jogabilidade, disputas acirradas, e aquele clima de quem vai vencer são ótimos. Imagine-se numa versão Hard Core de Tetris. Agora imagine Hard-Core Tetris com Meninas Super poderosas, e agora imagine Hard Core Tetris com Meninas Super Poderosas mais Street Fighter, agora você está perto do que é Super Puzzle Fighter HD Remix ;D

SPFHDR

E lá se vão Setenta Reais ;D

Na tentativa de estimular quem bebe a voltar para casa de táxi, uma empresa alemã criou uma estranha forma de chamar a atenção dos motoristas embriagados: um jogo controlado pelo jato da urina.

O jogo é mostrado em uma tela sobre o mijódromo, que possui sensores de pressão para captar o movimento do jato disparado pelo jogador, que controla o movimento de um carro.

Mijódromo

O raciocínio é simples: com reflexos mais lentos por causa da bebida, o carro fatalmente baterá e o mijão vai chamar um táxi… na teoria.

Os games salvando vidas e criando negócios.

Ouvindo a música When I’m Sixty-Four, dos Beatles, me peguei pensando:
será que quando eu for um senhor de cabelos brancos (se eu os tiver ainda, espero, porém duvido) eu continuarei investindo tempo e dinheiro em jogos? Tá, no caso é mais “gastar” do que “investir” mesmo, mas não vem ao caso. Eu realmente não sei dizer, afinal as prioridades mudam. Hoje eu gasto boa parte do meu salário de estagiário em jogos originais, mas pode ser que amanhã eu dê outro destino a esse dinheiro. Claro, a intenção é continuar “antenado” nos lançamentos e etecetera, mas já aconteceu de eu deixar os games um pouco de lado. Na geração passada eu fiquei razoavelmente ausente. Playstation 2? Só posso dizer que joguei de verdade os Metal Gears. Joguei bastante GameCube, mas não com tanto fervor assim. Provavelmente, caso eu mantenha esse hobby, eu seja aquele pai que vai comprar um console pro filho (eu disse console!), assim como para os netos. E farei questão de apresentar as franquias que fizeram a minha infância.

Então, caros colegas, vocês se vêem daqui a quarenta anos jogando Super Mario Tatooine e Gears of War 12?

imagem1.png

Pois bem pessoas, o beta de COD4 foi liberado para usuários de gamertags americanas, meu caso, e de muita gente dono de um 360 no Brasil; você que é dono de um 360 e tem um pouco de juízo sabe que COD4 vai ser um jogão, não pode perder essa oportunidade: acesse www.charlieoscardelta.com, cadastre-se e seja feliz, eu fiz minha parte, agora é esperar que os deuses do video-game estejam comigo.

Your name will now be entered into a random drawing for Tokens into the Xbox 360 Multiplayer Beta. At 7pm PDT tomorrow, Tuesday August 28th, we will be drawing names for entry into the Beta. Within 72 hours of this Drawing, we will contact you via email with news on whether or not you were admitted. Even if your name is not chosen in the random drawing, there will be more ways to get into the Beta, and we will continue to update you on the details as soon as they’re finalized!

If you are selected in the Drawing, please be patient and wait until you receive your token. We will be sending out Token Codes in batches to ensure the Xbox Live servers are ramped up at a safe pace.

If you use an email client such as Yahoo, G-mail, or Hotmail, please be sure to check your junk mail folder for news on whether or not you’ve been selected. Also, please add Cod4beta@infinityward.comto your address book. This will ensure that you don’t miss out on any of the action.

Check back into Charlie Oscar Delta for Updates, and don’t forget: this is a Beta! You can send us your feedback at betafeedback@infinityward.com as well as post your thoughts on the Charlie Oscar Delta Boards. We’ll be reading your Feedback, so please let us know what you think!

Como o Rodrigo disse:

Don Formigone diz:

se conseguir, és um cagado

Espero, sinceramente, perder uma ou duas cuecas.

Nosso primeiro meme!

Romulo do Cuba Games nos intimou para escrever sobre jogos que nos fizeram investir dias, talvez meses e até anos de nossas vidas apenas pelo prazer de joga-los; tarefa árdua, mas vou tentar.

Rockman X
Megaman para muitos, mas para mim, sérá sempre Rockman, tive a sorte, ou azar, de ganhar de aniversário justo a versão japonesa.

Foi o primeiro jogo que me prendeu pra valer, tudo que eu sabia da história era o que acontecia na tela, apenas mais tarde, com o advento de revistas que descobriria quem era Zero, ou Sigma. Como Rodrigo disse sobre o jogo, a ordem de derrotar os inimigos está até hoje na minha cabeça, e provavelmente não vai sar tão cedo.

Outra coisa que tenho na mente são as músicas, inesquecíveis, a minha favorita é a da fase do “Formiga”, eita música boa, gostaria de ter mp3 delas…

counter-strike
“O quêe, CS?? que jogo lixo” vocês devem estar pensando, talvez para quem nunca jogou ou coisa assim, mas eu joguei muito isso em lan houses, muito mesmo, muito dinheiro foi pro ralo, equivalente talvez aos fliperamas de outrora, mas com certeza ajudou a formar o que eu sou hoje, merece lugar na lista este e outros que jogava na lan, Warcraft 3 e Battlefield 1942.

diablo 2
Este jogo me tirou do limbo que era Tibia (mais detalhes sobre essa experiência um dia…).
Armas customizáveis, itens raríssimos, fama, fortuna, mulheres (tá…mulheres não…) tudo isso Diablo trazia, eu e meus amigos no segundo ano do colégio elias moreira perdiamos muito tempo que deveria ser dedicado ao estudo para melhorar nesse viciante jogo, sinto saudades daqueles tempos, até hoje tenho log de conversas in-game, que me dão mais saudade ainda, se um dia o pessoal que jogava comigo ler isso, saibam que eu fui feliz ;D, eu e meu Druida merreca, “Jalal”.

É isso aí, eu poderia adicionar mais uns 3 jogos aí, mas se colocasse tibia seria muito extenso, 2 anos de jogos… Street fighter embora tenha sido um jogaço com direito a torneios na família e tudo mais, não chegou ao nível de vício de Rockman e cia.

No mais, intimo meu colega de trabalho, Rodrigo, para fazer sua lista, e ele que não pense que por ter feito um top 10 escapará desse meme super-supimpa, e tambem Lucas do Go Luck; Divirtam-se rapazes

Ola, jogadores de jogos eletronicos!

Vou aproveitar que estou ébrio (Houaiss?) para criar a minha lista de Top 10.

Os dez jogos que eu mais amei em toda a minha vida ate o momento (bom, pelo menos os que eu lembrar). Vamos deixar de lado os ismos e etc., e focar apenas nos jogos, ok?

Vamos também levar em consideração que eu nunca joguei mais de 30 minutos de qualquer Final Fantasy. E também intimo o companheiro bloguistico Lucas a fazer uma lista de seu Top 10.

 (o texto foi escrito em um teclado sem acento, so lamento [ha, rimou!]) 

10 – Chrono Trigger

Antes que os fas fervorosos me chicoteiem, coloquei Chrono Trigger na décima posição porque eu nunca o fechei. Eu sei, eu sei, eh uma heresia dizer isso, mas não joguei na época em que deveria ter sido jogado (segunda metade da década de noventa). Joguei ele em um emulador de Snes em… sei la, 2002, e nunca cheguei a finaliza-lo. Mas mesmo assim, o que eu joguei foi incrível. As viagens no tempo, os personagens carismáticos, a abertura… Simplismente demais.

9 – Mega Man X

Um dos épicos da minha infância. Me lembra os velhos tempos das revistas de videogame (sim, eu sei que hoje tem a EGM e sei-la-quantas sobre Playstation 2, mas naquela época era diferente. Sei la, nostalgia.) Cada chefe tinha uma arma adequada para mata-lo, e a ordem que eu tinha permanece ate hoje em minha memória. Sem falar que a hora em que o Zero sacrifica a sua “vida” na ultima fase eh inesquecível.

8 – Donkey Kong Country 1 e 2

Nossa. Que revolução. Inicio da era Playstation e la estava o SNES, mandando ver ainda. Gráficos absolutamente impecáveis, que levaram o eterno Super Nintendo ao maximo de sua performance. Aventura em plataforma de respeito. Tiro o chapéu ate hoje pela ousadia, genialidade e sucesso.

7 – Mortal Kombat 2

Pelo visto, este será um Top 10 nostalgico. MK2 marcou a minha infância por ser um dos mais violentos da época. Lembro-me de alugar o jogo, ir pra casa e me borrar ao colocar a fita no console. Sim, eu ficava com medo, não posso fazer nada. A musica tenebrosa na abertura me deixava inconfortável nas primeiras jogadas. Os fatalities e similares eram muito bons. Pena que a franquia esteja meio morta hoje em dia.

6 – Super Mario All-Stars

Os mais clássicos jogos do Mario na era NES remasterizados para o SNES? Demais. Cenários e musicas atualizados, jogabilidade 100% e…. e se eu tivesse créditos no Virtual Console do Wii, eu baixaria Mario neste exato momento.

5 – Sonic 2

O melhor jogo de Mega Drive, em minha opinião. Pena que hoje em dia estejam maltratando o pobre porco-espinho.

4 – Resident Evil 2, 3 e 4

Eu sei que botei três jogos em um lugar só, mas dane-se. Resident Evil me proporcionou algumas belas horas de calafrios, suores e roecoes de unhas. O 2 marcou o inicio de minha adolecencia, onde eu pegava o Playstation emprestado de outrem e debulhava no survivor horror. O 3 idem, porem em uma época um pouco menos remota. Quando o Nemesis pulava pela janela quebrando-a, eu praticamente cagava nas calcas. Já o 4 eu joguei um pouco tardiamente, dois anos após o seu lançamento, porem em sua versão definitiva (Wii). Apesar de varias criticas (no sentido de “a serie fugiu de seu foco”, “eh praticamente um shooter”, “virou caca níqueis”), acho o melhor da serie. Pelo amor de deus, desde o segundo minuto de jogo ate o ultimo, eh tensão o tempo inteiro. Você soh para para relaxar nos mini-jogos de tiro ao alvo e nas salas de save. Sem contar que as cinematics totalmente inspiradas em Metal Gear ficaram ótimas.

3 – Super Mario 64

Não eh a toa que esta no topo da maioria das listas por ai.. Eh, sem sombra de duvidas, a maior referencia em jogos 3D. Não vi nenhum jogo que apresentasse melhor sistema de câmera como esse, e olha que o jogo já tem 11 anos de idade. 11! Eh serio, experimente pegar algum jogo da EA, ou da Ubisoft, ou ate da Konami para ver. A câmera de Super Mario 64 destroi completamente qualquer jogo atual. GTA? Lixo. Jogo-3D-do-Tiririca? Lixo. Mario detona, detona e detona. Absurdamente fenomenal.

2 – Metal Gear Solid 1, 2 e 3

Se você alguma vez pensou em jogar um filme, Metal Gear Solid eh o… Não consegui terminar a frase, mas você entendeu. Puta que o pariu! O expoente maximo da adrenalina em jogos eletrônicos, na minha opinião. Pra mim, grande parte do potencial da historia esta somente nas falas. Eh, no Codec. O pessoal da Konami estudou bem na aula de semiótica e conseguiram induzir o jogador a sentir toda a dramaticidade do jogo ao ouvir as falas “milesimamente” colocadas. Cada pausa entre uma fala e outra enaltecia a historia, assim como a brilhante escolha dos dubladores, que interpretaram com maestria cada palavra dita. Alguma hora eu faço um post especial para este assunto. Mas digo que por pouco não levou o primeiro lugar.

 1 – The Legend of Zelda: Ocarina of Time

Nao tem pra ninguem. Em 90% das listas que eu já vi por ai, o primeiro lugar eh de Ocarina of Time. Mas não estou sendo “Maria-vai-com-as-outras” não, o jogo eh demais mesmo. Foi o jogo mais imersivo que já joguei. Desenrolar da historia magnífico, que prende o jogador e faz ele se sentir na pele do protagonista. Trilha sonora inesquecível. Itens magníficos, cenários impressionantes e personagens maravilhosos. Lembro perfeitamente do dialogo de Link com Zelda no inicio do jogo, quando ela olha para Ganondorf através da janela. Twilight Princess foi bom, mas Ocarina of Time foi o melhor jogo que eu já joguei ate hoje.

Alguma hora eu falo mais de alguns jogos com mais detalhes, e mais inspiração.

Acredito que seja algo inédito no Brasil, a pré venda de um jogo do porte de halo, e como vocês vão ver, o preço está salgado, mas muito abaixo do que seria se aplicados os quase 300% de impostos sobre os games de hoje, palmas para a microsoft, eles merecem; apesar de tudo…

Vai ser assim, dia 4 de setembro, 21 dias antes do lançamento oficial de halo nos EUA (quiça no Brasil) ,os interessados poderão procurar em sites afiliados a Microsoft no Brasil (submarino e etc.) para conseguir uma cópia pré-venda.

Antes de concluir cabe aqui uma explicação, Halo 3 será vendido em 3 pacotes, o primeiro mais barato, é só o jogo a caixa e o manual, clássico, simples, e efetivo; o Segundo pacote, o “Limited”, vem em embalagem metálica e uns extrazinhos.

A menina de ouro para fãns de halo,  no entanto, a “Legendary” que vem com muitos extras e o capacete de master chief é a mais cara; Fim das explicações.

Aonde eu queria chegar é, para prévenda, apenas os pacotes limited e legendary estarão disponíveis, após a data oficial que o pacote normal estará disponível, Limited (R$ 249 ou 69 dólares) e a Legendary (R$ 399 ou 130 dólares), já a versão normal, custará provavelmente (chute meu pessoas) 160 reais, ou 59 dólares.

Como eu disse, está caro, mas admitam que poderia estar muito mais abusivo…eu chego a pensar em comprar a limited; ou cortar os pulsos, não sei ainda.

vgcar.jpg